Notícia

30 de Outubro, 2019

Papa: abrir o coração e se deixar tocar pelo Espírito Santo

Em Audiência desta quarta-feira, 30, Francisco destacou o livro de Atos dos Apóstolos relatando a história de Paulo e Silas que se deixaram ser guiados pelo Espírito Santo

O Papa Francisco iniciou a Audiência Geral desta quarta-feira, 30, na Praça São Pedro, citando o livro dos Atos dos Apóstolos, no qual abordou o capítulo 16, 9-10, e relatou a história de Paulo e Silas que foram guiados pelo Espírito Santo. O tema destacou também a chegada da fé cristã à Europa.

Nos versículos citados, Paulo teve uma visão, em que um homem da Macedônia disse: “passa à Macedônia, e ajuda-nos”.  Logo depois desta visão, Paulo e Silas partiram para a Macedônia, concluindo que o Senhor os chamavam para anunciarem o evangelho.

Macedônia, porta de entrada do cristianismo na Europa

Francisco explicou que o Espírito Santo é o protagonista da missão da Igreja. É ele quem guia o caminho dos evangelizadores mostrando a eles a vida a seguir. “E os macedônios têm orgulho disso e recordo este povo que me acolheu com tanto calor”, afirmou o Pontífice citando a sua viagem à Macedônia do Norte em maio deste ano.

Ao continuar a Audiência, o Santo Padre disse que Paulo chega a Filipos e ali batiza a vendedora Lídia e a sua família. Com o coração aberto, afirmou Francisco, a pessoa pode dar hospitalidade a Cristo e aos outros. “Temos aqui o testemunho da chegada do cristianismo à Europa: o início de um processo de inculturação que dura ainda hoje”, destacou.

Prisão de Paulo e Silas

O Papa ressaltou que depois do calor vivido na casa de Lídia, Paulo e Silas têm que fazer as contas com a dureza da prisão, para onde são levados com a acusação de perturbarem a “ordem pública” ao converterem em seguida uma jovem “com espírito de adivinhação”. E Francisco advertiu as pessoas que ainda hoje pagam e utilizam os “poderes” dos “adivinhos”. “Na prisão, acontece um fato surpreendente: enquanto Paulo e Silas rezavam, um terremoto move os alicerces da prisão libertando os prisioneiros. Ao ver as portas abertas da prisão, o carcereiro está para se suicidar quando pergunta a eles: que é necessário que eu faça para me salvar? Paulo responde: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e a tua casa”, relatou o Pontífice.

A transformação

A este ponto, explicou o Santo Padre, acontece a mudança, segundo ele, no coração da noite, o carcereiro escuta a palavra do Senhor com a sua família, acolhe os apóstolos, lava as suas chagas e recebe o Batismo.

“No coração da noite deste anônimo carcereiro, a luz de Cristo brilha e derrota as trevas. Assim o Espírito Santo faz a missão, desde o início. Desde Pentecostes, Ele é o protagonista da missão", repetiu o Pontífice frisando que Ele leva a todos avante a serem fiéis ao Evangelho.

Ao fim da Audiência, o Papa pediu para que os fiéis fizessem um pedido especial ao Espírito Santo. “Peçamos também nós hoje ao Espírito Santo um coração aberto, sensível a Deus e hospitaleiro aos irmãos, como o de Lídia, e uma fé audaz, como a de Paulo e Silas, e também uma abertura de coração, como a do carcereiro, que deixa tocar pelo Espírito Santo”, concluiu.


Fonte: Amex, com Vatican News


Horários de missa