Notícia

10 de Fevereiro, 2017

Papa pede informação e formação contra o antissemitismo

Francisco manifestou, mais uma vez, sua deploração a este crime.

Entre as atividades desta quinta-feira (9), o Papa Francisco recebeu membros da Liga Antidifamação. Trata-se de organização com sede em Nova Iorque (EUA), cuja principal atividade é identificar e denunciar ocorrências de antissemitismo, ou seja, preconceito ou hostilidade contra judeus, baseada em ódio contra seu histórico étnico, cultural e religioso. Com a Santa Sé, esta instituição mantém relações desde os tempos do Concílio Vaticano II.

Em seu discurso, o Pontífice recordou sua visita ao campo de extermínio de Auschwitz-Birkenau no ano passado. “Não há palavras e pensamentos adequados diante dos horrores da crueldade e do pecado; há oração, para que Deus tenha piedade e para que tragédias semelhantes não se repitam”, disse Francisco.

“Infelizmente, o comportamento antissemítico ainda persiste”, constatou o Papa, manifestando mais uma vez sua deploração a este crime. Para Francisco, a informação e formação são instrumentos eficazes para combatê-lo.

“Diante da demasiada violência que se propaga no mundo, somos chamados a um quê a mais de não-violência, que não significa passividade, mas promoção ativa do bem. De fato, se é necessário extirpar a erva do mal, é ainda mais urgente semear o bem: cultivar a justiça, aumentar a concórdia e promover a integração sem jamais se cansar”, exorta o Papa Francisco.

Aos membros da Liga Antidifamação, o Pontífice indica também a proteção dos fiéis e das religiões de qualquer manifestação de violência e instrumentalização como os melhores antídotos contra o insurgir do ódio.

“Shalom alechem!”, com esta saudação o Papa conclui o seu discurso, agradecendo à Liga pelo diálogo que mantém com a Igreja Católica.


Fonte: Rádio Vaticano


Horários de missa